Helena Rodrigues

Helena Rodrigues, nascida no Porto em Março de 1974.

Sempre fui uma apaixonada pela Vida! De entre as várias áreas de estudo pelas quais me apaixonei tenho de confessar que fui agradavelmente surpreendida no momento em que dei por mim profundamente envolvida na Educação. Mas, por uma educação “diferente” daquela que conhecia. Uma educação que contempla múltiplas possibilidades, amplos espaços de Ser, de Sonhar, de Estar e de Fazer, respeitando cada pessoa, aprendendo em colaboração, permitindo que cada um possa brilhar e desafiar-se a ir mais além!

Mestrado em Psicopedagogia Percetiva (Universidade Moderna de Lisboa, em 2006), com a tese de investigação: "A Pedagogia Percetiva e a relação à aprendizagem - aplicação do Atelier do Sensível a crianças." Pós-graduada em Fasciaterapia e Movimento Sensorial (Universidade Moderna de Lisboa, 2004). Licenciatura em Belas Artes, Escultura (Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, 1999).

Experiência como professora durante 6 anos, psicopedagoga percetiva na vertente de fasciaterapia desde 2006, formadora, consultora (apoio a equipas multidisciplinares em escolas públicas e privadas), organizadora de vários eventos na área da inovação educativa enquanto coordenadora do Núcleo Almada Seixal da Rede Educação Viva. Visitas vivenciais a vários projetos educativos internacionais – Escola Inkiri (Salvador da Bahia), Projeto Âncora (S. Paulo), Thinkiring School (Boston), rede de colégios Jesuítas (Barcelona) e vários projetos educativos inovadores portugueses como a Escola da Esperança, Florescer, Eres, Enraizar, entre outros. Colaboradora na Florescer - Associação de Educação Global sendo formadora no Projeto Aprender em Círculo que decorre na escola pública, em territórios de Intervenção Prioritária, em Oeiras. https://aprenderemcirculo.pt 

Fundadora dos projetos:

  • Dia da Alegria  
  • Formação Vivencial "Transformar a educação por dentro!" 
  • Sonhário, a escola dos nossos sonhos

Co-fundadora de vários projetos:

Co-autora do livro “APRENDER, outro nome que a vida poderia ter”.